Cirurgia de Cabeça e Pescoço

(11) 5539-0099 / 5082-3023

Anomalias congênitas cervicais

KKKKKKKK TESTE

As anomalias congênitas são doenças comuns na prática diária do Cirurgião de Cabeça e Pescoço. Em geral são benignas e originadas de uma má-formação das estruturas embrionárias que dão origem aos órgãos da face e do pescoço. Manifestam-se mais comumente por cistos no pescoço ou também por pequenas aberturas na pele chamadas fístulas. Na maioria dos casos o tratamento é cirúrgico. As principais anomalias congênitas da cabeça e pescoço são:

Cisto do ductotireoglosso

Origina-se do não desaparecimento do ducto tireoglosso, estrutura que na vida embrionária comunica a glândula tireóide com a região posterior da língua (base da língua). Normalmente manifesta-se por um nódulo na região central do pescoço, mais próximo do queixo do paciente. Apesar do caráter congênito, este nódulo pode aparecer em qualquer idade, desde o nascimento até a 3ª idade, sendo mais freqüente em crianças e em adultos jovens. Raramente apresenta associação com câncer. Pode sofrer infecção formando abscessos com drenagem de pus. O tratamento é cirúrgico e deve ser realizado com anestesia geral sempre, pois consiste na ressecção do cisto e da porção central de um pequeno osso localizado na parte alta do pescoço chamado osso hióide.

Resseções incompletas que não incluam o osso, feitas muitas vezes com anestesia local por médicos não especialistas que desconhecem a doença, praticamente são sinônimo de retorno do problema (recidiva) em curto espaço de tempo. As recidivas por sua vez são muito mais difíceis de tratar e mais sujeitas a complicações cirúrgicas. Operado adequadamente, o cisto tireoglosso dificilmente volta, e o resultado cirúrgico e estético é, na imensa maioria das vezes, excelente.

Cistos e fístulasbranquiais

São cistos ou pequenas aberturas na pele (fístulas) com saída de secreção viscosa localizadas nas regiões mais laterais do pescoço. Os cistos podem se manifestar em qualquer idade, já as fístulas já estão presentes ao nascimento. Estas anomalias são resultado da manutenção de restos embrionários do aparelho branquial, uma estrutura fetal parecida com as brânquias dos peixes e que origina uma série de estruturas do pescoço, como por exemplo a laringe, vasos e nervos. Na vida embrionária este aparelho branquial mantém comunicada a garganta do feto com o meio externo através da pele do pescoço.

O não fechamento desta comunicação dá origem às fístulas. O fechamento incompleto ou não obliteração dá origem aos cistos. Os cistos podem se infectar secundariamente dando origem a abscessos no pescoço. O tratamento é sempre cirúrgico e consiste na resseção completa do cisto com anestesia geral. Estruturas importantes do pescoço, como a artéria carótida e a veia jugular interna, muitas vezes estão próximas dos cistos branquiais, mas o índice de complicações nas mãos de especialistas é mínimo. Novamente, procedimentos incompletos realizados por não especialistas aumentam muito o índice de recidiva e de complicações.

Higroma Cístico

São resultado da má-formação de vasos linfáticos do pescoço e também são chamados de linfangiomas. Podem ser compostos por um único cisto (uniloculados) ou múltiplos cistos (multiloculados). Localizam-se preferencialmente na região inferior do pescoço, junto das clavículas. São menos freqüentes que os cistos tireoglossos e branquiais. A cirurgia é o tratamento de escolha. Em alguns casos pode ser tentada a injeção de substâncias para “secar” o cisto (esclerose). Os cistos multiloculados apresentam maior índice de recidiva pós-tratamento que os cistos uniloculados.

Hemangiomas

São mal-formações de vasos sanguíneos (artérias e veias). Podem ocorrer em qualquer região do corpo. Na glândula parótida (uma glândula salivar localizada na frente da orelha) os hemangiomas constituem o tumor mais freqüente A maioria dos hemangiomas presentes nas crianças desaparece até os sete anos de vida espontaneamente. Aqueles que persistem podem ser operados desde que o tratamento cirúrgico não implique em sequelas ou complicações piores que a própria presença do hemangioma. Uma indicação formal de cirurgia é a presença de sangramento e a compressão de estruturas vitais.


Especialidades

  • Doenças da glândula tireoide
  • Tumores de Laringe, Faringe e Cavidade Oral
  • Doenças das Paratireoides
  • Anomalias congênitas cervicais
  • Doenças das Glândulas Salivares
  • Tumores dos Seios Nasais e Paranasais

Especialistas

Dr. Fábio Roberto Pinto
CRM: 84290

Dr. Alexandre Bezerra dos Santos
CRM: 87051

Dra. Karin Akamine
CRM: 149775-SP

Veja mais

Contato

Rua Vergueiro, 2087 - Cj. 1507/1508 - Vila Mariana - São Paulo-SP - CEP: 04101-000

Tel.: (0xx11) 5539-0099 - 5082-3023
Fax.: 5549-9311

Veja mapa